16/10/2018

Manifestação contra as dragagens no rio Sado

Participei pela primeira vez numa manifestação. Já tive razões para participar noutras, mas por alguma razão nunca aconteceu. Não podia faltar a esta que foi organizada por gente que não concorda que, por motivos financeiros se tente destruir parte de um rio que é conhecido por muitas e boas razões. As associações ambientais Zero, Quercus, Liga para a protecção da Natureza, SOS Sado organizaram este protesto, desculpem não citar todas, mas são as que me lembro. E também não fomos meia dúzia de arruaceiros como foi dito, mas sim várias centenas de pessoas civilizadas.
Quem não ouviu falar nos golfinhos do Sado? e as belas praias das Arrábida? e sabem que é considerada uma das mais belas baías do Mundo?
Mas agora vão ser retirados do rio  6,5 milhões de metros cúbicos de areia para permitir a entrada de navios de grande porte e claro, aumentar o tráfego. Como pratico Paddle  na foz do rio já tinha reparado na intensa entrada e saída diária de navios de grande porte e ainda não foram feitas as dragagens. Transformar o rio numa autoestrada marítima parece-me um acto leviano tendo em conta as características únicas deste rio.
As principais preocupações de quem contesta são, a inevitável  movimentação das areias das praias para o canal dragado, o desaparecimento da população de golfinhos, os habitats que serão destruídos e ofim da actividade de centenas de pescadores artesanais. Depois de ler algumas entrevistas à presidente da Administração dos Portos de Setúbal e Sesimbra ainda fiquei mais convicto do que penso sobre o assunto. Competir com o porto de Sines e com Lisboa? mas porquê? para ter mais contentores? navios de cruzeiro?  Não se olha a meios para promover o pretenso progresso. E como diz Francisco Ferreira "Os estuários não são vocacionados para serem portos de águas profundas".  As dragagens até podiam ser feitas, mas porquê este projecto megalómano? E estudos concretos? Será que os golfinhos vão mudar de morada?

                                      


26/09/2018

Da minha janela

De tanto vos falar de Paddle, de mar e de praia, já devem estar a duvidar que vivo no campo... pois então mostro-vos o que vejo logo pela manhã quando abro a janela. O poste está ali a mas não tinha alternativa.


03/09/2018

Benefícios do Stand Up Paddle

Quem costuma passar aqui pelo blog já  sabe que sou praticante de Stand Up Paddle. É uma actividade  excelente para trabalhar todo o corpo, além disso o facto de estarmos sempre em pé em cima da prancha treina o equilíbrio,  e ao contrário por exemplo da corrida não existe o impacto nas articulações.  As quedas não aleijam, mas se a água estiver fria... uiiii!!
 Uma das duas pranchas que possuo é bastante estreita, pois foi concebida para velocidade. Esta prancha requer uma maior equilíbrio, sendo por vezes um autentico desafio  manter-me em pé, principalmente em águas agitadas.  É um treino intenso para as pernas e tronco mesmo com a habituação. Por outro lado quando quero fazer passeios longos tenho uma prancha própria para o efeito, pois proporciona-me momentos relaxantes, sendo esse outro dos benefícios do Stand Up Paddle. O mar, as paisagens e a sensação de liberdade aliviam-me o stress sem duvida.
Mas se algum dia pretenderem fazer esta actividade não se esqueçam que o devem fazer em segurança. Principalmente devem a meu ver, aprender com alguém credenciado, pois acreditem que convém aprender alguma técnica, e quem sabe, apanham o vicio como eu. E cuidado tenho visto por aí muita gente amadora a fazer de professor...
Deixo-vos aqui uma  pequena lista de escolas onde poderão aprender esta actividade, e quem sabe um dias ainda nos cruzamos por aí durante umas remadas.

Rui Meira
Stand up Friend Paddle
Surfnpaddle
SupXperience


31/08/2018

Casinha junto à praia?

Sempre houve a tentação de construir a casinha de férias junto à praia. Mas neste caso não. É afinal uma construção antiga de apoio às salinas.


26/08/2018

Quase a chegar a Festa

Ainda não vos disse mas vivo perto da Moita, onde tenho grandes amigos. E está a chegar a Festa da Nossa Senhora da Boa Viagem, que começa no próximo dia sete  de Setembro. Hoje pela manhã a caminhada levou-me até ao cais. Pois então mostro-vos a beleza do local.
Quanto à embarcação  "O Boa Viagem" que vêm nas fotos é um Varino. Este  tipo de embarcação  era antigamente usado  para transporte de carga no rio Tejo. Este exemplar foi reconstruido e  classificado como bem cultural de interesse municipal.  Hoje é utilizado para passeios no rio. Quem estiver interessado pode encontrar na página da Camara Municipal as datas disponíveis para os passeios. Acreditem, vale a pena e ficam a conhecer a Moita. Entretanto daqui a poucos dias estas embarcações irão estar todas engalanadas, pois a Festa vai começar.












19/08/2018

19 de Agosto, dia mundial da fotografia

Não foi difícil escolher a foto, neste dia mundial da fotografia. Foi tirada no Palladium de Nova York em 20 de Setembro de 1979 e mais tarde utilizada na capa do disco London Calling dos Clash. Mostra o baixista Paul Simonon a destruir a guitarra. A fotografa chama-se Pennie Smith. É uma fotografia que sempre me impressionou, e também a minha capa de disco preferida.


03/08/2018

J u s t c h i l l i n

Muita água, muito mergulho e descansar...
Foto gentilmente cedida por Escola Rui Meira. Apanharam-me distraido, e até nem ficou mal

02/08/2018

Difícil mudar a lâmpada

Esta manhã ao ver funcionários a substituir lâmpadas dos candeeiros na minha rua, achei por bem informá-los que faltavam mais duas, pois estavam fundidas, pensei que eles se tinham esquecido... mas não, disseram-me que tinha de contactar a Junta de Freguesia e acreditem, ouvi a palavra requerimento! Eu apenas quis facilitar o processo já que os funcionários estavam por perto. Nem tudo corre bem aqui pelo campo.

10/07/2018

Entre Miradouros

Fazer a rota dos miradouros de Lisboa é uma das minhas caminhadas  preferidas pela capital. Desta vez visitei onze, mas são mais de cinquenta no total. Mas não vos vou mostrar fotos dos miradouros visitados, ai! isso não! Visitem-nos que vale a pena. O que vos mostro são aqueles momentos e lugares que por alguma razão achei que valeu a pena captar. Desfrutem. 













07/07/2018

Para quem abandona os animais...

É uma foto tirada do Facebook, mas espelha o que penso.


03/07/2018

Outros olhares

 O meu gosto pela fotografia não se resume apenas a tirar fotos, mas também encontrar gente que  saiba captar através da objectiva lugares e momentos de tal maneira que me façam reter mais do que breves segundos sobre as fotografias que partilham. As redes sociais também servem para isso, partilhar as coisas boas e as coisas menos boas. E o que tem qualidade tem de ser divulgado. Há algumas semanas atrás descobri o trabalho do Sérgio Oliveira, que vive na Ericeira. Eu sei, não falta gente para fotografar a Ericeira, mas o Sérgio fá-lo com imensa sensibilidade, longe do apontar e clicar tão frequente hoje em dia. Mas o que interessa são as imagens, e deixo-vos aqui alguns exemplos.




26/06/2018

De volta ao Cabo Espichel

 Este fim de semana voltei ao Cabo Espichel num passeio organizado pela Biotrails.
Localizado a oeste de Sesimbra, merece ser visitado pois é uma das maravilhas da Costa Azul. Quando lá chegamos, deparamos-nos  com o Santuário de Nossa Senhora da Pedra Mua,  este conjunto arquitectónico é constituído por duas fiadas de habitações (alojamentos para peregrinos) que terminam na igreja formando um terreiro onde se encontra também o Cruzeiro. Perto estão também, a Ermida da Memória, a Casa da Água com o respectivo aqueduto e as ruínas da antiga Casa da Opera onde se realizavam  espectáculos, muitas vezes promovidos pela família real.
Mas voltando ao passeio... que sendo guiado por alguém que conheça o local (como foi o caso)  permite-nos ficar a conhecer os trilhos, a flora, as pegadas de dinossauros e os pequenos segredos do local. A paisagem é agreste mas não se iludam, ali há muito para ver. E por estranho que pareça ainda não tinha visto as famosas pegadas de dinossauros. Estranho porque apesar de já  ter feito naquela zona várias caminhadas e passeio de btt, só tive oportunidade de as ver agora. Lembro-me que quando andava no liceu, alguns professores de química organizavam visitas de estudo para as conhecer.     
A  caminhada, que foi realizada de manhã, incluiu também a descida ao nível do mar para visitarmos a Lapa colorida retratada nas duas ultimas imagens. No final, aquelas subidas no regresso abrem o apetite, e de que maneira.













14/06/2018

Mar das Latas

 Estou de férias desde o inicio de Junho. O sol anda envergonhado e o calor não sei onde anda. Apesar disso voltámos a rumar à Ericeira. Ir a banhos está fora de questão, e como ainda não conhecemos tudo por aqui, ir à descoberta de  novos lugares também pode ser um passatempo. Hoje dou-vos a conhecer o Mar das Latas, o espaço ideal para, ao fim da tarde, beber um copo, comer umas tapas e conversar com o mar à vista. Fica ali pertinho da praia dos Pescadores. O espaço é pequeno mas acolhedor e bem decorado, o atendimento é excelente e a musica ambiente é óptima tendo em conta o meu gosto musical, claro. Lá fora, a pequena esplanada também é opção, mas é minúscula. Há uma grande variedade de tostas,  tapas e até conservas. Quem  aprecia um bom vinho ou cerveja artesanal este é o local certo.  Desta vez escolhemos a Muxama de atum, e um tinto que já conheço, o Caiado. Escolha acertada pois saímos dali encantados, aliás a vontade é ficarmos ali horas e horas. Já lá estivemos duas vezes, e reparei que a maioria dos clientes são estrangeiros, mas o ambiente é calmo.  Se forem à Ericeira vale a pena visitar o Mar das Latas.



24/05/2018

Tróia ou Arrábida, uma questão de trocos

Se já foram às praias de Arrábida durante o Verão certamente sabem o que é o caos no transito por aquelas paragens, com carros estacionados na estrada  nos dois sentidos, depois vem a policia e multa tudo a eito. Este ano a coisa parece que vai ser diferente, a Câmara de Setúbal arranjou solução. De Junho a Setembro estará interdita a circulação de carros entre a Figueirinha e o Creiro. Portanto as opções são os parques de estacionamento (Figueirinha  e Creiro) ou  transporte publico. Não esquecer de levar uns trocos para  o bilhete do autocarro ou para o estacionamento. Mas deixem que vos explique uma das razões porque estas praias são tão cobiçadas.
 Durante muitos anos muitos setubalenses e não só, tinham as praias de  Tróia como destino  de eleição, até que a SONAE e outras empresas decidiram reabilitar a zona. Demoliram as famosas torres da Torralta, construíram belos hotéis, moradias, uma marina etc.  E de repente os preços dos bilhetes para atravessar o Sado começaram a subir.... a subir... e não param de subir.  E muita gente deixou de rumar a Tróia. E dei comigo a pensar... praias desertas, são o paraíso para o turista que ali está hospedado, nada de multidões a desembarcar naqueles lindos areais, pois a travessia não é barata para o comum dos mortais, isto estou só a pensar... e curiosamente, nem foi nada difícil descobrir que.... a Atlantic Ferries pertence ao grupo SONAE.

Então a alternativa são as belas praias da Arrábida, sempre fica mais barato, até agora.

Quanto a ir até Troia, podem consultar o tarifário da Atlantic Ferries para :
Bilhete adulto: 6,85 euros (ida e volta)
Bilhete criança: 4,70 euros (ida e volta)
Viatura com condutor: 15,50 + 4,15 por cada passageiro
E não se esqueçam do cartãozinho Viva Viagem: 50 centimos 
Imaginem,  por exemplo uma família com duas crianças, façam as contas.

27/04/2018

25 de Abril, e agora?

Tinha doze anos quando chegou a revolução em 1974. Claro que com aquela idade eu não tinha a noção da realidade politica. Mas ainda nesse ano entrei no liceu, em Lisboa, e logo ali em Belém.  É claro que era impossível ficar longe das discussões, afinal o assunto das conversas era quase sempre esse, politica.  Comunistas, socialistas e MRPP´s eram os mais activos nas discussões, e muitas vezes acabava tudo à porrada. Os anos foram passando  e Sá Carneiro acabou por ser uma das poucas figuras politicas a quem eu dava algum crédito. Infelizmente, hoje, para mim a classe politica perdeu quase toda a credibilidade. Custa-me ver um País onde grande parte dos nossos impostos vão alimentar Bancos mal geridos, que já não servem para nada mas que o Estado teima em ajudar. Custa-me pagar a electricidade cara, e saber que é cara porque é necessário oferecer  milhões de euros aos accionistas que não fazem a ponta de um corno. Custa-me ver um funcionário camarário  com poucas habilitações usufruir de um ordenado superior a um técnico superior de saúde. Custa-me ver a ganancia dos nossos deputados, que não olham a meios para ganhar mais uns "cobres". Custa-me ver nas grandes empresas, cadeiras de gestor reservadas para políticos reformados.  E até temos uma Mafia, a dos incêndios. Podia continuar coma lista, mas fico-me por aqui. Somos um dos países mais corruptos do Mundo, mas apesar de tudo o 25 de Abril valeu a pena...


17/04/2018

Junto ao mar, longe dos estádios

Este fim de semana passado quase só se falou de futebol, felizmente estou vacinado contra isso. Com a Liga Meo Surf a iniciar-se este ano na Ericeira, e logo este fim de semana como poderia eu dar alguma importância ao futebol. Foram três dias junto ao mar, onde não houve lugar para quezílias, verylights, conversas da treta, e onde existe competição, sim, mas nada parecido com o futebol. E quanto a banhos... só para surfistas destemidos.