18/01/2018

De volta ao vinil

Há poucos meses atrás meti na cabeça que tinha de voltar a ter gira discos em casa e consequentemente voltar a construir uma pequena colecção de discos. Estava com saudades de ouvir musica  em alta fidelidade, coisa que a maioria das pessoas nunca experimentaram ouvir. Habituámo-nos ao Mp3, muitas das vezes sem qualidade nenhuma. Em casa prefiro ouvir um álbum numa edição original em vez de um ficheiro comprimido.  E as capas dos discos?  por vezes são verdadeiras obras de arte. 
 A tarefa não se avizinhava difícil, afinal não falta por aí que se queria desenvencilhar das antigas aparelhagens Hi-Fi. Amplificador já tinha, quanto ao gira discos, encontrei o queria num site de leilões. Felizmente encontrei alguém honesto, que tem como hobby a venda deste tipo de aparelhos.
Os discos também não são difíceis de encontrar. Por exemplo, em Lisboa podemos encontrar três ou quatro lojas onde se vendem só discos de vinil. Também existem feiras de vinil todos os anos, principalmente na capital. 
Quanto aos discos, ainda são poucos, podem ver alguns na segunda foto... mas a colecção vai crescer. 




10/01/2018

Primeira aventura do ano - Serra do Risco

 A Serra do Risco, perto de Sesimbra é um poucos lugares que me faltava conhecer na Arrábida. E neste primeiro post do ano falo-vos sobre este passeio que há muito  queria fazer. É imperativo que seja feito com guias conhecedores da região, além disso é proibido fazer o percurso durante alguns meses do ano. Portanto se pretenderem fazer o passeio convém contactar organizações que o façam. A densa vegetação e o piso rochoso não facilitam a caminhada até ao topo. Junto às falésias com o oceano lá em baixo vale a pena parar para admirar a vegetação, os mais curiosos ficarão deslumbrados com os pormenores. Quanto à fauna, se tivermos sorte avistamos um casal de águias à procura de alimento, mas também o falcão Peregrino, o Peneireiro e várias espécies de andorinhas. E mais uma curiosidade, lá em cima  temos aos nossos pés a escarpa mais alta da Europa continental.  Dali avistamos  a Península de Tróia,  parte da Arrábida e até Lisboa. De regresso descemos ao vale, não pelo mesmo caminho, fizemos uma espécie de percurso circular que não foi fácil, mas que sem duvida valeu a pena.

Passeio organizado por  Biotrails














28/12/2017

Tronco de Natal

Estou viciado, não resisto. Em vez de prendas dêem-me  troncos de Natal, é o melhor bolo do mundo! Sonho com troncos de Natal! Lambo os dedos quando como tronco de Natal!  Pronto tinha de confessar....

24/12/2017

Feliz Natal

Desejo um Feliz Natal a todas e todos os meus visitantes. Eu como sempre vou abusar nos doces e no vinho do Porto. Viva a lampreia de ovos e o troco de Natal!!!!!


                               E como não podia deixar de ser, aqui fica uma foto da Ericeira.

06/12/2017

Centro de mesa de Natal

Este ano mostro-vos  como faço o centro de Natal . O facto de morar no campo facilita bastante a obtenção de parte da matéria prima, e basta um passeio de bicicleta ou uma caminhada para resolver a situação. É claro que todos os anos os centros são diferentes, variam conforme os ingredientes que encontro. As velas e as bolas também não costumam ser as mesmas.
A base costuma ser em barro mas este ano comprei uma diferente num hipermercado. Como vêm é fácil de fazer, dá outro brilho à mesa de Natal, fica melhor do que um daqueles centros que se compram nas lojas, e as visitas costumam adorar. Espero que gostem.












04/12/2017

Convento da Arrábida

Já vos tinha dito que brevemente iria fazer uma visita a este convento que se situa na Serra da Arrábida. Finalmente chegou o dia. Mostro-vos algumas fotos da visita que a meu ver vale a pena fazer. O Convento é propriedade da Fundação Oriente e as visitas realizam-se mediante marcação prévia. O senhor Quirino é o guia e tem muitas histórias para contar. No meu caso inscrevi-me através do Caminhando.pt que além da visita ao Convento nos proporcionou uma visita à  gruta da Lapa de Sta Margarida.










24/11/2017

Fotografar com Fuji

Depois de experimentar várias máquinas de várias marcas, finalmente encontrei o que procurava há muito tempo. E o que eu procurava? procurava na fotografia a cor e o contraste que eu realmente acho ideais, que raramrnte necessita edição. Mas muitos exclamarão...  - Ó blasfémia!  todos os profissionais da fotografia,  os bloggers, aliás, toda agente edita tudo o que é foto!! -   Eu sei  que algumas necessitam de melhoramentos, sem duvida, sempre se fez edição de fotos,  mas já me enjoa um bocadinho ver por aí tantas fotos com carradas de filtros. Cada um faz o que quer mas eu também tenho o direito de ficar enjoado.
 Mas voltando ao assunto, a minha ultima máquina, uma  Olympus OM-D EM10 desiludiu-me bastante e por isso continuei a procura. Procura que me levou numa direcção, Fujifilm. Depois de ler várias criticas muito positivas sobre a marca, inclusive de fotógrafos profissionais, e ter visto imensas fotos que me impressionaram bastante, ficou decidido. O orçamento era limitado portanto procurei no Ebay, e adquiri uma Fujifilm XT-10 usada. É uma mirrorless com  aparência retro e com uma qualidade de construção bastante boa. Ficou-me por cerca de um terço do preço de uma nova. Quanto à lente, adquiri  também no Ebay uma Fujinon XC 16-50 mm. A série X da  Fujifilm tem pelo menos duas gamas de lentes, as XC e as XF.  De salientar que a gama XC é mais barata, apesar disso penso que as fotos ficam muito boas como podem ver no post anterior. Costumo recorrer ao modo manual com frequência e por isso uso este tipo de máquinas.

 Atenção que a fotografia é um dos meus hobbies e não pretendo ser profissional na área e o post não é patrocinado. 





04/11/2017

A chuva e o mistério das manchas azuis


Simples a explicação.... é calda bordalesa,  um dos meios mais eficazes de combate às pragas, e é permitida na agricultura biológica.  Tem este nome porque foi criada em Bordeaux. É Composta por cal, sulfato de cobre (que dá a cor azul) e água, a toxicidade é baixa. O meu limoeiro agradece a chuva e o tratamento. E aí está, mais  uma curiosidade que vos mostro directamente do meu quintal.




31/10/2017

Cartel do Fogo

Ontem ao ver a reportagem de Ana Leal na TVI ficou-me na memória esta frase:

"Os números impressionam...mais de cem vitimas nos incêndios deste verão. E se o pior dia do ano para estas pessoas tiver sido o melhor dia de negócio da vida de outros...."


28/10/2017

26/10/2017

Surf em Portugal - Não é só o futebol que move multidões

Terminou ontem o Rip Curl Pro Portugal, a etapa portuguesa do WCT (World Surf League). O evento teve lugar em Peniche mais concretamente na praia de Super Tubos. Mais uma vez lá estive, mas só num dos dias.  Este ano era especial porque agora temos o nosso Frederico Morais a competir  no que podemos chamar, a primeira divisão do surf. Este desporto movimenta milhões de euros no nosso País. Ericeira, Peniche, Nazaré, são destino ideal para surfistas de quase todo o Mundo. Quem conhece a Costa da Caparica, certamente já viu nas praias as escolas de surf a dar formação com muita gente com vontade de aprender.  Muitas destas praias são autênticos paraísos. O contacto com a natureza é inevitável e a luta pela preservação ambiental é importantíssima neste desporto. Aliás nestes eventos campanhas de sensibilização não faltam, pena é que, como pude observar em Super Tubos, há sempre uma gente  que não se importa de destruir tudo por onde passa. Um exemplo:  apesar dos constantes avisos da organização para o publico não invadir a zona das dunas  (é área protegida), as pessoas simplesmente ignoravam descaradamente. Mas isso não é estranho  num País onde ainda é normal cuspir para o chão e atirar fora maços de cigarros vazios pela janela do carro.
Pena que muita gente não saiba desfrutar e ao mesmo tempo preservar as belas praias e paisagens que temos. Como já disse  a luta pela preservação ambiental é importantíssima neste desporto, e isso não cabe só aos atletas, cabe também a quem assiste permitir a sustentabilidade  destes eventos.
Mas valeu a pena a viagem a Peniche, onde mais uma vez vi os melhores surfistas do Mundo. Para o ano espero lá voltar.
As fotos ficaram sobre expostas, não foi intencional. Tinha andado a mexer naquele botãozinho da compensação da exposição, e esqueci-me de pôr a zero.
 










05/10/2017

Apanha da azeitona

Por aqui andamos na apanha da azeitona e a prepará-la. O acessório que se vê na ultima foto serve para fazer os cortes nas azeitonas. Estas são conservadas sem químicos e já estão a curtir.